0

A Velocidade da Internet Do Futuro-A Internet Das Coisas Conectadas

 Veja agora o que muda com a internet do futuro, a internet das coisas saiu da ficção e já é realidade. Quais as consequências que essa nova tecnologia traz para o mundo? Como viver bem no mudo virtual do futuro?

Você está preparado para o futuro da internet? O que está esperando? Saiba agora o que já mudou e o que ainda vai mudar com a globalização da internet das coisas, a tecnologia do futuro, já está implantada no nosso mundo.

       Internet das coisas

A internet já é considerada uma das coisas básicas na vida de maioria das pessoas, muitos não se veem mais sem essa ferramenta.

Se você acha que a internet atual é uma coisa tecnológica, por conta das possibilidades que oferece aos usuários, então se prepare para a IoT (Internet OF Things), internet das coisas em português, a internet do futuro, que já era pra está quase 100%.

Como assim?

Quase todos os objetos serão conectados na internet, a geladeira por exemplo, terá um sistema que avisará quando um produto está acabando ou vencendo.

  Lâmpada inteligente

A lâmpada inteligente é um dos dispositivos da IOT mais populares em todo o mundo, sendo a primeira opção a ser adotada por muitas pessoas que decidem tornar sua casa mais inteligente. Ela pode ser controlada a partir de um smartphone, dando ao morador a possibilidade de criar um ambiente perfeito em qualquer lugar da casa. Outra vantagem é que ela pode ser programada para acender em horários diferentes para que ninguém saiba que o morador deixou a casa sozinha enquanto saiu para viajar ou se divertir à noite, por exemplo, e se adequar à rotina da casa.

    Fechadura eletrônica

Com uma fechadura eletrônica, o morador consegue abrir e trancar as portas de sua casa de maneira remota e programá-las de acordo com suas necessidades. Quando ele não estiver em sua residência, também poderá fornecer uma senha de acesso a um funcionário para que ele entre, por exemplo, ou até enviar um comando para que as portas se abram quando ele chegar. Isso proporciona não apenas facilidade, mas também uma maior segurança para a casa.

  Tomada inteligente

As tomadas inteligentes permitem que o morador controle seus eletrodomésticos de qualquer lugar através do seu dispositivo móvel. Assim, ele pode ligá-las apenas quando for necessário, o que ajuda a economizar a energia gasta pelos aparelhos que ficam no modo de espera (stand-by). Antes de chegar em casa, por exemplo, o morador consegue acionar seu ar-condicionado remotamente e deixa-lo na temperatura ideal, ou pode ligar a cafeteira de manhã cedo para preparar o café antes mesmo dele se levantar da cama Fonte: http://ideialabs.com.br/internet-das-coisas-no-brasil/

Isso sem falar nos serviços que serão 100% online.

Acha que é coisa de ficção?

Países como Japão, EUA, dentre outros já utilizam essas tecnologias e aqui no Brasil também.

  Como funciona?

Todo dispositivo (qualquer objeto), conectado na internet, tem um IP, que é o endereço (identidade) do aparelho na rede. É parecido com o número de nossas casas, o endereçamento de IP é feito através do IPV4, que é parecido com o CEP das cidades. Acontece que o IPV4, tinha um número limitado de IPs, e já foi ultrapassado a bastante tempo, e já existe uma versão que é quase ilimitada é o IPV6.

Para entender melhor assista esse vídeo bem explicativo do NIC.br:  https://youtu.be/jlkvzcG1UMk?list=PLQq8-9yVHyObGmdqA-aD_QaLrZaC_tkOI

Ou veja está matéria no site deles: http://ipv6.nic.br/posts/

 

O que falta então para mudar?

É necessário que todos os dispositivos suportem o IPV6, e os mais antigos não tem essa opção. Ou seja todos os fabricantes dos potenciais dispositivos, devem inserir essa tecnologia em suas fabricas, e isso não é uma tarefa fácil.

O USO DA INTERNET NO MUNDO SEGUNDO A CISCO:

O tráfego global de dispositivos conectados, aumentará quase três vezes nos próximos cinco anos e terá aumentado quase cem vezes de 2005 até 2020.

O tráfego de Internet de hora em hora está crescendo mais rapidamente do que o tráfego médio da Internet. O tráfego de Internet aumentou 51% em 2015, comparado com 29% de crescimento no tráfego médio. O tráfego de Internet de hora em hora aumentará em um fator de 4,6 entre 2015 e 2020, enquanto o tráfego médio na Internet aumentará duas vezes.

O tráfego de Smartphone excederá o tráfego de PC até 2020. Em 2015, os PCs representavam 53% do tráfego IP total, mas até 2020 os PCs representam apenas 29% do tráfego. Os smartphones representarão 30% do tráfego IP total em 2020, ante 8% em 2015. O tráfego originado no PC crescerá a um CAGR de 8%, enquanto os televisores, tabletes, smartphones e módulos máquina a máquina (M2M) Terá taxas de crescimento do tráfego de 17 por cento, 39 por cento, 58 por cento e 44 por cento, respectivamente.

O tráfego de dispositivos sem fio e móveis representará dois terços do tráfego IP total até 2020. Em 2020, os dispositivos com fio serão responsáveis ​​por 34% do tráfego IP, enquanto o Wi-Fi e os dispositivos móveis representarão 66% do tráfego IP. Em 2015, os dispositivos com fio representaram a maioria do tráfego IP em 52%.

O tráfego global da Internet em 2020 será equivalente a 95 vezes o volume de toda a Internet global em 2005. Globalmente, o tráfego da Internet chegará a 21 GB per capita até 2020, acima dos 7 GB per capita em 2015.

O número de dispositivos conectados às redes IP será três vezes maior que a população mundial em 2020.

A velocidade de banda larga quase duplicarão até 2020. Até 2020, a velocidade global de banda larga fixa atingirá 47,7 Mbps, ante 24,7 Mbps 2016.

 CRESCIMENTO DE VÍDEOS NA REDE

Levaria um indivíduo mais de 5 milhões de anos para assistir a quantidade de vídeo que irá atravessar as redes IP globais a cada mês em 2020. Cada segundo, cerca de um milhão de minutos de conteúdo de vídeo irá atravessar a rede até 2020.

Globalmente, o tráfego de vídeo IP será de 82 por cento de todo o tráfego de Internet consumidor até 2020, acima de 70 por cento em 2015. O tráfego de vídeo IP global crescerá três vezes entre 2015 e 2020, um CAGR de 26%. O tráfego de vídeo na Internet crescerá quatro vezes entre 2015 e 2020, um CAGR de 31%.

O tráfego de vigilância por vídeo na Internet quase duplicou em 2015, passando de 272 peta bytes (PB) por mês no final de 2014 para 516 PB por mês em 2015. O tráfego de vigilância por vídeo na Internet aumentará dez vezes entre 2015 e 2020. Globalmente, O tráfego será devido à vigilância por vídeo em 2020, acima de 1,5 por cento em 2015.

O tráfego de realidade virtual quadruplicou em 2015, de 4,2 PB por mês em 2014 para 17,9 PB por mês em 2015. Globalmente, o tráfego de realidade virtual aumentará 61 vezes entre 2015 e 2020, um CAGR de 127%.

O vídeo na Internet para TV cresceu 50% em 2015. O vídeo da Internet para a TV continuará a crescer a um ritmo acelerado, aumentando 3,6 vezes até 2020. O tráfego de vídeo para TV da Internet será de 26 por cento do tráfego de vídeo de Internet do consumidor até 2020, ante 24 por cento em 2015.

O tráfego de VOD do consumidor quase dobrará até 2020. Ultra alta definição (UHD) será 20,7 por cento do tráfego IP vídeo-on-demand (VoD) em 2020, acima de 1,6 por cento em 2015.

O tráfego de rede de distribuição de conteúdo (CDN) transportará quase dois terços de todo o tráfego de vídeo na Internet até 2020. Em 2020, 64% de todo o tráfego de vídeo da Internet cruzará CDNs, ante 45% em 2015.

Destaques do celular

Globalmente, o tráfego de dados móveis aumentará oito vezes entre 2015 e 2020. O tráfego de dados móveis crescerá a um CAGR de 53 por cento entre 2015 e 2020, atingindo 30,6 EB por mês até 2020.

O tráfego global de dados móveis crescerá três vezes mais rápido que o tráfego IP fixo de 2015 a 2020. O tráfego global de dados móveis foi de 5% do tráfego IP total em 2015 e será de 16% do tráfego IP total até 2020.

Cenário brasileiro

No Brasil, o número de usuários passará de 97 milhões para 141 milhões em 2020. Esse total projetado representa 65% da população brasileira conectada. O número de dispositivos passará de 519 para 766 milhões (uma proporção de 3,6 dispositivos por pessoa). A Cisco aponta que a velocidade média de conexão passará d de 8,5 Mbps para 19,5 Mbps e o vídeo representará 85% do tráfego total.

Olhando para o contexto regional, ao final da década, a América Latina terá 394 milhões de pessoas na Internet. Em termos de dispositivo, serão 2 bilhões de aparelhos conectados em território latino americano. “O crescimento não é mais impulsionado por usuários, mas por conexão máquina a máquina”, afirma o executivo.

O estudo da Cisco projeta 15 tendências que moldarão o futuro da internet.

  1. Crescimento das conexões M2M (machine-to-machine), em português, conexão de máquina para máquina. Cada vez mais, o futuro da internet será recheado por máquinas. Segundo De acordo Baeta, as conexões M2M representarão 46% do total, seguido por telefones móveis (21%).
  2. Mais aparelhos capazes de rodar vídeos. “Vemos que os Smartfones terão uma predominância nesse contexto”, projeta o diretor, sinalizando esses dispositivos como predominantes no consumo de recursos em vídeo em 2020.
  3. Média de tráfego por dispositivo crescerá exponencialmente. O volume de tráfego nos aparelhos passará por uma expansão acentuada. Atualmente, a média de consumo mensal de um módulo M2M gira na casa dos 139 Mbps. Até o final da década, esse número saltará para 458 Mbps. A mesma evolução pode ser vista nos smartphones, saindo 1,389 para 7,872 Mbps por mês.
  4. Queda nas conexões via PC. O estudo da Cisco indica que os PCs vão perder força no tráfego total. Os smartphones tomarão o lugar dos computadores, saindo de 8% para 30% do tráfego em 2020.
  5. O advento da IOT (Internet Of Things). As conexões M2M impulsionarão a quantidade de conexões. “Os tipos de conexão mais comuns hoje são de casas, ambientes empresariais e carros conectados”, lista o diretor, afirmando que essas três frentes continuam sendo dominantes em quantidade de conexões, além de terem crescimento significativo nos próximos anos.
  6. IPv6 avança. O IPv6 passará por uma evolução exponencial do que o tráfego geral da internet, com 74% de crescimento médio global até 2020.
  7. Conteúdo em alta. O HD impactará o mundo IP. Em 2020, o Brasil terá 56% de conteúdo em alta definição trafegando em internet, contra 63% no mundo.
  8. Novas fontes de entretenimento. Muitos usuários migrarão de serviços de TV por assinatura tradicional para o streaming. “Isso é uma tendência em mercados mais desenvolvidos, mas não é algo observado no Brasil. Mas, à medida que o mercado amadurece, passa a valer em solo nacional”, pondera.
  9. Acesso público. De acordo com a Cisco, o número de hotspot (denominação de um determinado local onde uma rede WI-FI está disponível) públicos vai crescer consideravelmente nos próximos anos. Até o final da década, o mundo terá um total de 433 milhões de hotspots, dos quais 9% serão na América Latina.
  10. Cada vez mais sem fio. Em 2018, o número de acessos móveis e Wi-Fi supera os acessos de fixos.
  11. Consumo intenso. O uso de banda por usuário passará de uma média atual de 19 Gb para 44 Gb por mês. O tráfego médio em uma residência sairá de 49 Gb par 118 Gb por mês. No Brasil o consumo em média por usuário passará de 16 Gb para 32 Gb e de uma casa sairá de 42 Gb para 90 Gb por mês.
  12. O mundo ajusta os planos. De acordo com a Cisco, há um aumento dos limites nos serviços de dados pelos provedores ao redor do mundo, isso se alinha com o cenário de aumento de tráfego. Na mesma medida, as operadoras enfrentam o desafio de atender o tráfego de momentos de pico.
  13. Mais velocidade. A velocidade média global das conexões será de 47,7 Mbps em 2020. No Brasil, a média deve chegar a 19,5 Mbps.
  14. Serviços diversos. De acordo com a pesquisa, o mundo verá um aumento na utilização de serviços de vídeo sob demanda e transmissão ao vivo usando redes IP. No mundo doméstico, espera-se avanço na adoção de redes sociais, mobile banking e-commerce. No ambiente empresarial, há uma tendência de adoção de comunicação unificada e serviços com recursos baseados em contexto de localização.
  15. Mais inseguro. O número de ataques DDOS chegará a 17 milhões em 2020 (contra 2.6 milhões registrados em 2015.

Minha Opinião:

Eu sinceramente acredito que, o crescimento dos crimes virtuais é por conta do crescimento descomunal da internet, e não por falta de segurança. Vamos olhar para o mundo físico, vejamos o quanto a violência e o crime cresceram na medida que a população aumentou, e mesmo com tantas leis, pessoas e presídios, a violência é realidade de muitos no mundo.

Exemplo de coisas que já estão funcionando

Ponto de ônibus

Já existem pontos de ônibus inteligentes, que estão integrados em uma rede e informam o horário que o coletivo de determinada linha vai passar naquela estação.

Coleira

Uma startup lançou uma coleira tecnológica para animais de estimação. O dispositivo monitora os hábitos e ajuda o dono do pet a encontrá-lo caso ele desapareça.

Botão

No Brasil, empresas estão testando um botão que, quando acionado, realiza a compra de determinado produto. Após um cadastro prévio, bastará um clique.

E muitas outras coisas já estão sendo testadas e usadas

O que muda na economia, empresas, industrias, companhias, etc:

Segundo os “especialistas”, haverá mais otimização, colaboração, em poucas palavras terá uma globalização mais intima, mais eficaz, ainda que, em grande parte seja feita através da conexão M2M (máquina para máquina).

 

 

 

Veja está matéria explicando: http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,o-que-muda-com-a-internet-das-coisas,70001703300

       O mercado de trabalho

 Não precisa ser especialista para saber que muita coisa ainda vai mudar no mercado de trabalho, com o avanço tecnológico.

Melhor ou pior?

Eu acredito que vai depender da situação de cada um e suas intenções, mas quem pretende trabalhar empregado, seja público ou privado, com certeza terá que se adaptar a esse mundo tecnológico ou do contrário ficará a ver navios. Já pra quem pretende empreender seja ideias ou negócios no sentido literal, com certeza nunca faltará oportunidades.

Seja bem vindo ao mundo virtual  e aproveite da melhor forma possível.

Obrigado, deixe seu comentário abaixo, sucesso pra você

 

FONTES:

CISCO: http://www.cisco.com/c/en/us/solutions/collateral/service-provider/visual-networking-index-vni/complete-white-paper-c11-481360.html

NIC.BR: http://www.nic.br

IDEIAS LABS: http://ideialabs.com.br/internet-das-coisas-no-brasil/

ESTADÃO:  http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,o-que-muda-com-a-internet-das-coisas,70001703300

 

Robson Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *